Obras do Metrô de SP abasteceram esquema de propina para Alckmin e Kassab, dizem delatores

As obras da Linha 6 - Laranja do Metrô de São Paulo serviram para abastecer o esquema de propina da Odebrecht para influenciar políticos e financiar o caixa dois de campanhas eleitorais.

Usuária é vítima de seringa em estação do Metrô

Caso aconteceu na última terça-feira. Metrô disse que encaminhou imagens pra Polícia..

Metroviários aprovam adesão à greve geral no dia 28 de abril

Metroviários votam a participação na Greve Geral no dia 28/4 contra as reformas do governo Temer.

Estações Luz e República estarão fechadas nos dias 21 e 23

Os passageiros devem ficar atentos a mudanças na operação da Linha 4-Amarela neste feriado de Tiradentes, sexta-feira, dia 21, e no domingo, dia 23.

Hístorias

Memórias do Metrô.

sábado, 22 de abril de 2017

Obras do Metrô de SP abasteceram esquema de propina para Alckmin e Kassab, dizem delatores




Obras da linha 6-Laranja (Créditos ao autor)

As obras da Linha 6 - Laranja do Metrô de São Paulo serviram para abastecer o esquema de propina da Odebrecht para influenciar políticos e financiar o caixa dois de campanhas eleitorais. Nas delações, os executivos da Odebrecht citaram que o dinheiro desviado do Metrô beneficiou o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o ministro Gilberto Kassab (PSD).

O projeto da linha tem 15 estações e 15 km de extensão e ligaria o Centro à Zona Norte de São Paulo. O contrato para a construção, uma Parceria Público Privada estimada em R$ 9 bilhões, foi assinado no final de 2013, mas as obras estão totalmente paralisadas desde 2016 por falta de financiamento.

Em vídeo gravado pelos investigadores da Lava Jato, Arnaldo Cumplido, ex-executivo da Odebrecht, relata pagamentos superiores a R$ 6 milhões em caixa 2 para a campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) ao governo de São Paulo em 2014.

À época, Cumplido era o responsável pelo contrato de construção da Linha 6 - Laranja e encarregado de liberar as transferências ilegais.

No depoimento, ele afirma que os pagamentos eram orientados por Luiz Antônio Bueno, seu chefe direto, via e-mail. De acordo com o ex-executivo, o dinheiro era destinado a “Salsicha” e “MM”, ambos codinomes de Marcos Monteiro, tesoureiro da campanha de Alckmin naquele ano.
O projeto da linha Laranja é citado também na delação de Celso da Fonseca, ex-executivo da Odebrecht. O delator disse que Sergio Brasil, que foi diretor de assuntos corporativos do Metrô, pediu propina pelo esforço que fez para viabilizar o contrato da linha.

Segundo Fonseca, Sergio Brasil já tinha pedido propina pela construção da Linha - 5 Lilás em 2008. O esquema ilegal mirava o longo prazo. As propinas eram distribuídas imaginando que políticos influentes poderiam atuar no futuro em beneficio para a empresa.

Gilberto Kassab passou a ser visto como uma aposta por executivos da Odebrecht. Segundo Paulo Cesena, ex-diretor da construtora, a empresa tinha um programa de R$ 14 milhões destinado a ele entre 2013 e 2014.

Em 2015 Kassab se tornou ministro das Cidades. A pasta é responsável por verbas federais destinadas a projetos de mobilidades. De acordo com Cesena, Kassab deu benefício fiscal para a Odebrecht emitir debêntures, títulos para captar dinheiro no mercado.

No caso específico das debentures da Linha 6, foi feita essa solicitação ao Ministério das Cidades e a Odebrecht obteve o enquadramento – primeiro passo para esse tipo de captação de recurso. O projeto não foi adiante porque a obra está parada.
Criação de partido

O ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Júnior detalhou em depoimento pagamentos feitos entre 2008 e 2014 pela empreiteira, a pedido do atual ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab (PSD-SP). A maior parte de um total de R$ 21,3 milhões teria sido paga através de caixa dois.

Benedicto Júnior é um dos ex-dirigentes da empreiteira que fecharam acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato. As delações foram homologadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O delator afirmou que, em 2013, foi procurado por Kassab e recebeu um pedido de ajuda para a criação de um novo partido: o PSD. Após a solicitação, segundo ele, foram feitos pagamentos entre novembro de 2013 e setembro de 2014, totalizando R$ 17,9 milhões.

“O doutor Kassab sabia que esse dinheiro era por caixa dois, era um número expressivo. Não era factível fazer uma doação de R$ 17 milhões da Odebrecht para o PSD e eu disse a ele como nós poderíamos operacionalizar pelo setor de operações”, afirmou, em depoimento.
Outro lado

Em nota o governador Geraldo Alckmin disse que sempre exigiu que as suas campanhas eleitorais fossem feitas dentro da lei e jamais pediu doações ilícitas e nem autorizou quem quer que fosse fazê-las em seu nome.

A assessoria do ex-prefeito Gilberto Kassab disse em nota que, em 2013, o PSD já estava consolidado e não havia, portanto, necessidade de apoio para a criação de novo partido.
Falou ainda que não havia, na época, perspectiva de que Kassab assumisse o ministério das cidades. E sobre os projetos citados na deleção de Paulo Cesena, a empresa não conseguiu realizar a emissão das debêntures ou finalizar a aprovação do financiamento com aval de diferentes órgãos federais.

Também em nota, a secretaria dos Transportes Metropolitanos disse que acompanha com atenção os conteúdos das delações. E no caso da participação de funcionários e ex-funcionários em qualquer tipo de crime, a secretaria espera que eles sejam julgados e, se condenados, punidos.

As informações são do G1

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Metrô terá operação diferenciada no feriado prolongado de Tiradentes

]
Nesta sexta-feira (21), feriado de Tiradentes, e no próximo domingo (23), as Linhas 15-Prata do Monotrilho, 4-Amarela, que é operada pela concessionária ViaQuatro, e 3-Vermelha terão estratégias diferenciadas de operação.

Na Linha 4-Amarela (Butantã - Luz), para continuidade das obras civis no mezanino metálico da futura estação Higienópolis-Mackenzie, tanto no feriado quanto no domingo, as estações República e Luz permanecerão fechadas durante todo o dia. Os passageiros poderão utilizar o próprio sistema metroviário para realizar seus trajetos.

Quem embarcar nas estações Butantã, Pinheiros, Faria Lima e Fradique Coutinho com destino às estações República e Luz deverão desembarcar na estação Paulista e seguir viagem usando a integração com a Linha 2-Verde. Já os passageiros com destino a Linha 4-Amarela, que estiverem tanto na estação Luz, da Linha 1-Azul, quanto na estação República, da Linha 3-Vermelha, devem seguir até a estação Consolação, da Linha 2-Verde, onde será possível transferir-se para a Linha 4 e prosseguir viagem pelo sistema. A operação nas demais estações da Linha 4-Amarela no trecho entre as estações Paulista-Butantã será normal. As estações República (Linha 3-Vermelha) e Luz (Linha 1-Azul) do Metrô funcionam normalmente.

Na Linha 15-Prata (Oratório - Vila Prudente), em função de testes no sistema de controle de trens, as estações Vila Prudente e Oratório ficarão fechadas na sexta-feira (21) e no domingo (23), das 4h40 às 16 horas. Nesse período, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência), que circularão no trecho entre as duas estações até o início da operação.

Paese sobre trilhos na Linha 3-Vermelha

Outra estratégia programada para sexta-feira e domingo será implantada em três estações da Linha 3-Vermelha. Para atender os usuários da CPTM, que terá circulação paralisada na Linha 11-Coral para realização de obras, no feriado e no domingo, as áreas de transferência gratuita das estações Corinthians-Itaquera, Tatuapé e Brás serão abertas a partir das quatro horas da manhã. Com isso, os usuários da CPTM poderão utilizar o sistema metroviário para se deslocar por estas três estações. Já os usuários do Metrô serão atendidos a partir das 4h40, horário habitual de abertura de todas as estações metroviárias.
Retorno do feriado terá antecipação de horário

Na segunda-feira (24/04), dia de retorno do feriado prolongado de Tiradentes, a abertura das estações metroviárias das linhas 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi), 2- Verde (Vila Prudente-Vila Madalena), 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda) e 4-Amarela (Butantã -Luz), que é operada pela concessionária ViaQuatro, será antecipada para as 4 horas - 40 minutos mais cedo do que o habitual. A medida tem por objetivo atender os usuários que desembarcam na capital pelos terminais rodoviários Tietê e Jabaquara (integrados à Linha 1-Azul) e Barra Funda (integrado à Linha 3-Vermelha). Nas linhas 5-Lilás (Capão Redondo - Adolfo Pinheiro) e 15-Prata (Oratório -Vila Prudente), a abertura das estações ocorrerá no horário habitual, ou seja, às 4h40.

Para informar sobre as mudanças programadas, haverá emissão de mensagens sonoras pelos sistemas de som das estações e dos trens, colocação de cartazes e publicação de informativos nas redes sociais. O Metrô recomenda aos usuários que programem suas viagens e adquiram os bilhetes antecipadamente.

Em caso de dúvidas, os usuários têm à disposição a Central de Informações do Metrô (0800 770 7722), que atende diariamente, das 5h30 às 23h30. Já a Central de Atendimento da Via Quatro (0800 770 7100) atende de segunda a sexta-feira, das 6h30 às 22 horas, e aos sábados e domingos, das 8h às 18 horas.

As informações são da Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô

Usuária é vítima de seringa em estação do Metrô

Trem do Metrô (Imagem ilustrativa)

Caso aconteceu na última terça-feira. Metrô disse que encaminhou imagens pra Polícia.

Era pra ter sido um dia comum para a usuária Julia Benis. Mas algo de ruim aconteceu por um instante que a deixou seu dia apavorante: uma picada de seringa.

Ela embarcou para ir trabalhar nesta terça-feira (18) na estação Brás da Linha 3-Vermelha do Metrô, linha que mais transporta passageiros. Por volta de 06h55 da manhã, a estação estava lotada por causa do horário de pico. Um homem chegou perto dela e aplicou a seringa na nádega e logo após saiu correndo. Ela sentiu a picada da seringa, porém prosseguiu viagem pois achou que não era nada. Algumas estações depois, ela foi conferir o local e viu que estava saindo sangue e imediatamente desembarcou e procurou, assustada, a equipe de segurança do Metrô.

Julia nos informou que os seguranças a encaminharam ao hospital Emílio Ribas, onde ela tomou um coquetel. Ela realizou um Boletim de Ocorrência e foi informada que esse é o terceiro caso da semana passada para cá.

Julia solicitou à equipe de segurança do Metrô que deixassem ela verificar as imagens das câmeras de seguranças do carro da composição e da estação, pois ela sabia o número do carro e o horário que ocorreu e quem seria o homem. A equipe de segurança negou ela ter acesso as câmeras.

Em nota, o Metrô informou que conversou com a Julia através da página no Facebook, pois ela entrou em contato. A Companhia disse ainda que o Metrô tem todo o interesse em colaborar com a polícia, e as imagens são passadas diretamente a eles, para auxiliar nas investigações. O Metrô informou também que orienta os usuários que, em qualquer ocorrência que tenha necessidade de atuação da segurança, informem diretamente um funcionário (da segurança ou não) ou enviem SMS para 97333-2252.

As informações são de Anderson Dantas (Repórter Mobilidade Sampa)

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Estações Luz e República estarão fechadas nos dias 21 e 23

Foto reprodução

Os passageiros devem ficar atentos a mudanças na operação da Linha 4-Amarela neste feriado de Tiradentes, sexta-feira, dia 21, e no domingo, dia 23. As estações Luz e República estarão fechadas para embarque e desembarque durante toda a operação comercial (4h40 à meia-noite). 
A restrição operacional ocorrerá para execução de obras na futura estação Higienópolis-Mackenzie, sob responsabilidade da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô.  

Os passageiros poderão utilizar o próprio sistema metroviário para realizar seus trajetos. Os usuários que entrarem nas estações Butantã, Pinheiros, Faria Lima e Fradique Coutinho com destino às estações República e Luz devem desembarcar em Paulista e seguir viagem usando a integração com a Linha 2-Verde do Metrô. 

Na estação Luz, os passageiros devem utilizar a integração com a Linha 1-Azul do Metrô. Quem estiver na estação República pode fazer a transferência para a Linha 3-Vermelha do Metrô para prosseguir sua viagem pelo sistema. As estações República (Linha 3-Vermelha) e Luz (Linha 1-Azul) do Metrô funcionam normalmente.  

Com a operação diferenciada deste domingo, a orientação aos usuários será reforçada em toda a Linha 4-Amarela com cartazes, mensagens sonoras e veiculação de informações nos monitores de TV das estações, plataformas e trens. A equipe de atendimento também está preparada para auxiliar os usuários nos deslocamentos, minimizar os impactos das mudanças e garantir a segurança.

Informações adicionais podem ser obtidas na Central de Atendimento (0800 770 7100), de segunda a sexta-feira, das 6h30 às 22h, sábado e domingo, das 8h às 18h. Outros canais de comunicação também estão à disposição, como a Ouvidoria (ouvidoria@viaquatro.com.br) e o Fale Conosco no link http://www.viaquatro.com.br/fale-conosco.

As informações são da Via Quatro

sexta-feira, 14 de abril de 2017

História dos trens do metrô - Frota G

Estamos de volta com a história dos trens do metrô, hoje a história será mais curta que o normal, pois chegamos em uma parte que os trens são mais novos e tem pouca história, hoje contaremos sobre a frota G.

A frota G foi fabricada em 2008 pela Alstom, trens que foram encomendados para a Linha 2 verde depois de sua extensão até Vila Prudente, foram fabricadas 16 composições.
Em 28 de março de 2009 entrou em operação o primeiro dos 16 novos trens a ser entregues até a inauguração do trecho Sacomã-Vila Prudente, até o ano de 2010 todas as 16 unidades da frota G já estavam circulando pela Linha 2 entre Vila Prudente e Vila Madalena.

Atualmente os trens da frota G estão sendo remanejados para a Linha 3 Vermelha devido as suas portas que são largas, e a L3 é uma linha de alto fluxo, a mais cheia do metrô, tanto que tem apenas 3 unidades da frota G operando na Linha 2 Verde, as outras 13 unidades já estão na L3, e até o final do ano todas estarão operantes na L3 Vermelha.

Um trem da frota G unidade 222 na estação Vila Madalena, uma das poucas restantes na L2, junto do 223 e 224.
 
Trem da frota G, 226 na estação Pedro ll, da L3 vermelha, 13 unidades estão operando na L3.
 
A frota G é a única unidade do metrô que Não carregam externamente o prefixo "G", mas sim o número serial da linha, "200". Por exemplo: a identificação do G19 é, externamente, 219.
 
Bitola (m): 1,60
Estrutura da caixa: Aço Inox
Fabricante: Alstom
Fabricação: 2008
Origem: Brasil
Alimentação: 3º trilho
Formação: 6 carros
Portas: 8 por carro
Linhas de Operação: 2-Verde e 3-Vermelha
Quantidade de trens: 16 composições
 

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Metrô de SP antecipa abertura das estações na volta da semana santa


Na próxima segunda-feira (17/04), dia de retorno do feriado prolongado da Semana Santa, a abertura das estações metroviárias das linhas 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi), 2- Verde (Vila Prudente-Vila Madalena), 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera-Palmeiras/Barra Funda) e 4-Amarela (Butantã –Luz), que é operada pela concessionária ViaQuatro, será antecipada para as 4 horas -  40 minutos mais cedo do que o habitual. A medida tem por objetivo atender os usuários que desembarcam na capital pelos terminais rodoviários Tietê e Jabaquara (integrados à Linha 1-Azul) e Barra Funda (integrado à Linha 3-Vermelha). Nas linhas 5-Lilás (Capão Redondo – Adolfo Pinheiro) e 15-Prata (Oratório –Vila Prudente), a abertura das estações ocorrerá no horário habitual, ou seja, às 4h40.

Na sexta-feira (14), feriado da “Paixão de Cristo”, a frota de trens em circulação, em razão da menor demanda, será semelhante a utilizada num domingo. Como nos demais feriados, quem pretende pedalar pela cidade encontrará no Metrô ótima opção para transportar as bicicletas durante todo o dia. Lembrando, porém, que só é permitido o embarque de até quatro bikes por trem, sempre utilizando o último vagão; que a utilização das escadas rolantes com a bicicleta pode ser feita apenas no sentido de subida, após embarque dos demais usuários; e que nunca deve-se fazer uso dos elevadores portando bicicletas.

Já durante o fim de semana, tanto no sábado quanto no domingo de Páscoa, as frotas de trens em operação serão as habituais e não haverá mudanças no horário de funcionamento das linhas.
Para mais informações sobre a operação da rede metroviária, os usuários têm à disposição a Central de Informações do Metrô (0800 770 7722), que funciona todos os dias, das 5h30 às 23h30. Já a Central de Atendimento da ViaQuatro (0800 770 7100) atende de segunda a sexta-feira, das 6h30 às 22 horas, e aos sábados e domingos, das 8h às 18 horas.

As informações são da Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Metroviários aprovam adesão à greve geral no dia 28 de abril

Metroviários votam a participação na Greve Geral no dia 28/4 contra as reformas do governo Temer. Foto: Paulo Iannone

Os metroviários vão parar no dia 28/4, dia em que será realizada uma Greve Geral no País. A decisão foi aprovada na assembleia de 11/4 (terça-feira). A luta é contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, a terceirização e privatização.
O 15/3 mostrou que é possível realizar uma Greve Geral no Brasil. Agora, chegou o momento de parar e mostrar ao governo Temer que não aceitamos perder a aposentadoria, os direitos trabalhistas e sermos submetidos à terceirização.
Os trabalhadores estão conscientes de que agora é o momento de realizar uma grande manifestação. As Centrais Sindicais, sindicatos e os movimentos sociais estão unidos para a Greve Geral. Todos à assembleia do dia 27/4.